Diário Oficial do Tocantins publica termo que coloca Wanderlei Barbosa no comando do governo

Diário Oficial do Tocantins publica termo que coloca Wanderlei Barbosa no comando do governo
Documento estĆ” assinado pelo próprio governador em exercício e também pelo secretĆ”rio-chefe da Casa Civil, Rolf Vidal. Wanderlei Barbosa é o governador em exercício do Tocantins

JoĆ£o Guilherme Lobasz/g1

O DiĆ”rio Oficial do Estado do Tocantins trouxe, na noite desta quarta-feira (20), a publicaĆ§Ć£o do 'Termo de AssunĆ§Ć£o da Chefia do Poder Executivo', que coloca Wanderlei Barbosa (Sem partido) no comando do Governo do Tocantins. Ele deve cumprir a funĆ§Ć£o pelos próximos seis meses, enquanto durar o afastamento de Mauro Carlesse (PSL) do cargo, determinado pelo Superior Tribunal de JustiƧa.

O termo foi assinado pelo próprio Wanderlei e pelo secretĆ”rio-chefe da Casa Civil do Tocantins, Rolf Vidal, que foi responsĆ”vel por lavrar o documento. Segundo apuraĆ§Ć£o da TV Anhanguera, a posse foi ainda durante a manhĆ£, em um evento reservado na sede da Procuradoria-Geral do Estado. O deputado Antônio Andrade (PSL), que é presidente da Assembleia Legislativa, é que deu posse a Wanderlei.

Mauro Carlesse foi afastado por suspeita de recebimento de propina e também por suposta interferência em investigaƧƵes policiais. Ele foi alvo de duas operaƧƵes simultĆ¢neas da Polícia Federal nesta quarta-feira (20).

O DiĆ”rio Oficial nĆ£o trouxe publicaƧƵes relacionadas aos servidores públicos que também tiveram o afastamento determinado pela JustiƧa, nem nomes de eventuais substitutos. Entre as secretarias afetadas pela operaĆ§Ć£o, a única a publicar algo foi a de Parcerias a Investimentos, com uma portaria assinada por Aleandro Lacerda GonƧalves, identificado como Diretor-Presidente da pasta. O nome de Clausinei Quaresemin, que é um dos secretĆ”rios afastados do cargo, nĆ£o é citado. Cristiano Sampaio, da SeguranƧa Pública, também nĆ£o aparece no DiĆ”rio.

Durante a tarde, Wanderlei Barbosa esteve na sede da JustiƧa Federal, onde ficou por cerca de 20 minutos. Ele nĆ£o quis dar declaraƧƵes e disse ainda estar se atualizando sobre a situaĆ§Ć£o. Afirmou ainda que a populaĆ§Ć£o pode ficar tranquila. Ao ser perguntado se acreditava na inocência de Mauro Carlesse, preferiu nĆ£o responder.

Quem é Wanderlei Barbosa?

Wanderlei tem 57 anos e é natural de Porto Nacional, na regiĆ£o central do estado. Ele comeƧou a carreira política em 1989, quando se elegeu vereador pelo município. Em 1996 migrou para a capital e se elegeu vereador por Palmas, cargo que ocupou por vĆ”rios mandatos sucessivos até 2010, chegando a presidir a cĆ¢mara municipal ao longo de quatro anos.

Em 2010 se elegeu para o primeiro de dois mandatos como deputado estadual. Ele permaneceu nesta funĆ§Ć£o até 2018, quando se afastou para disputar a eleiĆ§Ć£o suplementar ao lado de Carlesse como vice-governador na chapa que acabou vencedora. A disputa foi convocada por causa da cassaĆ§Ć£o de Marcelo Miranda e Claudia Lelis dos cargos de governador e vice.

Wanderlei é casado com Blandina Vieira Leite Castro e pai de Ygor Leonardo Castro Leite, Rérison Antonio Castro Leite e Rosa Maria Castro Leite. Ele também é filho de Fenelon Barbosa, o primeiro prefeito de Palmas, quando a cidade foi fundada em 1989.

Um dos filhos do governador em exercício, Rérison Antonio, foi nomeado presidente da Agência de Metrologia do Tocantins em 2019 e segue ocupando o cargo.

Ao longo dos últimos anos, Wanderlei Barbosa trabalhou em sintonia com o governador Mauro Carlesse e evitou se envolver em polêmicas. Ele foi escolhido para encabeƧar aƧƵes como o combate à queimadas no último período de estiagem, representou o governo em entregas de obras e também em reuniƵes a que o governador nĆ£o pode comparecer.

As investigaƧƵes

As investigaƧƵes que resultaram no afastamento de Calesse sĆ£o resultado de duas operaƧƵes da PF, denominadas Éris e Hygea.

O foco da Éris é desarticular uma suposta organizaĆ§Ć£o criminosa, que atuaria na Secretaria de SeguranƧa Pública obstruindo investigaƧƵes e vazando informaƧƵes aos investigados.

A Hygea busca desmantelar um suposto esquema de pagamento de vantagens indevidas relacionadas ao Plansaúde, plano de saúde dos servidores estaduais.

A apuraĆ§Ć£o, que teve início hĆ” cerca de dois anos, estima que cerca de R$ 44 milhƵes tenham sido pagos a título de vantagens indevidas. Os valores podem ser maiores, jĆ” que a participaĆ§Ć£o de outras empresas no esquema ainda é investigada.

Pela manhĆ£, a Polícia Federal fez buscas na casa de Carlesse e na sede do governo do Tocantins. Foram apreendidos dois veículos do governador, levados para a sede da PF em Palmas.

Segundo a PF, as buscas desta quarta-feira fizeram parte de duas operaƧƵes complementares, que investigam:

pagamento de propina relacionada ao plano de saúde dos servidores estaduais;

obstruĆ§Ć£o de investigaƧƵes;

incorporaĆ§Ć£o de recursos públicos desviados.

Além do governador, também foram alvos de mandados de busca e apreensĆ£o secretĆ”rios estaduais, entre os quais Cristiano Sampaio, da Secretaria de SeguranƧa Pública do Tocantins, que também teve o afastamento do cargo determinado pelo STJ.

Veja mais notícias da regiĆ£o no g1 Tocantins.