Apagão no Amapá: um ano após energia restabelecida, distribuição passa à iniciativa privada

Apagão no Amapá: um ano após energia restabelecida, distribuição passa à iniciativa privada
Foram 22 dias de grave crise energética, 4 deles sem o fornecimento e o restante em rodízio de eletricidade. Grupo Equatorial Energia venceu leil√£o e administra a CEA até 2051. Trabalhador da CEA na rede elétrica em Macap√°

Arquivo g1

Em 24 de novembro de 2020, quase 90% da popula√ß√£o amapaense saiu do período mais grave da crise energética que deixou o estado num apag√£o durante 22 dias. Exatamente um ano depois, nesta quarta-feira (24), a distribui√ß√£o, comandada pela Companhia de Eletricidade do Amap√° (CEA), passa a ser administrada pela iniciativa privada.

O blecaute, que iniciou em 3 de novembro de 2020, afetou 13 dos 16 municípios do estado e foi um dos maiores apag√Ķes da história do país. Foram 22 dias seguidos de problemas, dos quais os quatro primeiros em escurid√£o total e o restante sob regime de rodízio.

Apag√£o expôs fragilidades no acesso a energia elétrica no estado

A explos√£o de um transformador numa subesta√ß√£o na Zona Norte de Macap√° durante uma tempestade desencadeou um problema muito maior que a ausência de energia elétrica, mas também expôs um fr√°gil e dependente sistema, desde a gera√ß√£o, passando pela transforma√ß√£o e a distribui√ß√£o - esta última era a única ainda administrada pelo Estado.

Governo repassou na terça-feira o controle da Companhia de Eletricidade do Amapá ao grupo Equatorial Energia

Laura Machado/g1

Na ter√ßa-feira (23), o Governo do Estado do Amap√° fez a cerimônia que repassou o controle da CEA para o grupo Equatorial Energia, o vencedor do leil√£o realizado em junho pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A empresa assume oficialmente nesta quarta-feira as opera√ß√Ķes da distribuidora de energia, encerrando a transi√ß√£o da desestatiza√ß√£o da Companhia.

Controladora da distribui√ß√£o de energia elétrica para o estado, a CEA existe h√° 65 anos. O novo investidor recebe a companhia em meio a uma intensa crise, com série de apag√Ķes. Por isso e também pelas dívidas acumuladas, o Ministério de Minas e Energia (MME) considerou essa uma das mais desafiadoras concess√Ķes.

Sede da Companhia de Eletricidade do Amap√° (CEA), em Macap√°

Caio Coutinho/G1

O grupo Equatorial Energia atende a distribui√ß√£o de mais de 20% de todo o território nacional, e possui representa√ß√Ķes nos estados do Maranh√£o, Par√°, Alagoas, Piauí e no Rio Grande do Sul. No Amap√° a concess√£o é pelo período de 30 anos - até o ano de 2051. Nesse período, o grupo deve aplicar mais de R$ 3 bilh√Ķes para melhorar a presta√ß√£o dos servi√ßos.

A privatiza√ß√£o da CEA integra o Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) é uma iniciativa do Governo Federal que busca reaquecer a economia e estimular a gera√ß√£o de empregos através da concess√£o de servi√ßos.

Apag√£o

Amap√° viveu apag√£o por mais de 20 dias em novembro de 2020

Jornal Nacional/Reprodução

O apag√£o aconteceu durante uma tempestade na subesta√ß√£o da Linhas de Macap√° Transmissora de Energia (LMTE), empresa privada respons√°vel pelo servi√ßo. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) descreveu que encontrou uma série de falhas em usinas, na rede de distribui√ß√£o e Subesta√ß√£o Macap√°, que é a principal do estado.

Veja a cronologia da crise de energia elétrica

TSE adiou elei√ß√Ķes municipais em Macap√° por causa do blecaute

3 diretores de empresa são indiciados pela PF por transformador reserva sem manutenção por um ano

ONS elenca série de falhas que resultaram no apag√£o no Amap√°: "contingência múltipla"

Segundo o relatório do ONS, na noite do dia 3 houve um curto-circuito, seguido de explos√£o e de incêndio num primeiro transformador, o que sobrecarregou o segundo equipamento. O problema foi que, segundo o ONS, n√£o havia um transformador de "backup", que estava em manuten√ß√£o h√° quase um ano.

Em julho deste ano, a Polícia Federal concluiu o inquérito do caso e indiciou três diretores da LMTE. "A responsabiliza√ß√£o foi em fun√ß√£o do artigo 265 do Código Penal Brasileiro, devido ao transformador reserva (backup) que ficou sem manuten√ß√£o por um ano", publicou a PF.

Antes disso, em fevereiro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que multou a concession√°ria LMTE em R$ 3,6 milh√Ķes. Em contrapartida, a empresa declarou que o apag√£o foi um "conjunto de fatores".

Apagão no Amapá: investigação em transformador incendiado

JN

Veja o plant√£o de últimas notícias do G1 Amap√°

Assista a vídeos do apag√£o no Amap√°:

Relembre as edi√ß√Ķes do podcast "O Assunto" dedicadas ao apag√£o