Cooperativa de extrativistas de açaí do Bailique inaugura fábrica agroindustrial em Macapá

Cooperativa de extrativistas de açaí do Bailique inaugura fábrica agroindustrial em Macapá
AmazonBai, instalada na Zona Oeste da capital, tem capacidade de beneficiar até 2 mil litros do produto por dia. Cooperativa de extrativistas inaugura fábrica para beneficiamento do açaí em Macapá

A cooperativa de produtores de açaí do arquipélago do Bailique e Beira Amazonas, inaugurou nesta sexta-feira (10), na Zona Oeste de Macapá, a AmazonBai, uma fábrica agroindustrial para o beneficiamento e produção de derivados do fruto da floresta amazônica.

Localizada na comunidade Porto do Céu, no bairro Coração, o empreendimento busca beneficiar 2 mil litros de açaí por dia, além de produzir e armazenar mais 60 mil litros.

Açaí Macapá Amapá AmazonBai

Jorge Júnior/Rede Amazônica

O momento foi considerado histórico pelo presidente da AmazonBai, Amiraldo Picanço, que há mais de 8 anos trabalha organizando a cadeia produtiva do açaí de forma sustentável.

"É um momento histórico. Momento da gente mudar de categoria. AmazonBai hoje trabalha com toda cadeia produtiva, fortalecendo o cooperativismo amapaense e trazendo o retorno econômico e social para dentro do território amapaense", avaliou

Açaí colhido por extrativistas no Amapá

Jorge Júnior/Rede Amazônica

A produção vai iniciar com o açaí vindo de barco do arquipélago do Bailique. Após cerca de 12 horas, o fruto chega em um porto às margens do Rio Matapi, que fica há quase 200 metros da fábrica onde o processo de beneficiamento acontecerá.

Na AmazonBai cerca de 18 pessoas já estão trabalhando. Um dos primeiros cuidados é a catação e a limpeza do produto. Com isso, o açaí passa pelo processo de branqueamento, um choque em água quente, que garante a segurança alimentar.

Derivado de açaí produzidos na AmazonBai

Jorge Júnior/Rede Amazônica

Atualmente são mais de 140 extrativistas de açaí cooperados à AmazonBai. A presidente da Organização de Cooperativas do Amapá (OCB-AP), Maria Nascimento, detalhou como é o processo para se tornar um associado.

"AmazonBai só trabalha com produto certificado, então para ser cooperado o produtor precisa ter a sua certificação. Faz a certificação, tem a palestra de cooperativismo, entendendo o que é o sistema cooperativista ele vem ser um sócio cooperado da AmazonBai e vem somar", explicou.

Polpa de açaí feita na AmazonBai

Jorge Júnior/Rede Amazônica

O produto da AmazonBai tem cinco certificações, entre elas, a do FSC Brasil, considerada o selo verde com grande reconhecimento mundial, presente em mais de 70 países.

Para o extrativista Dimalro Lopes, a inauguração da fábrica representa uma opção para realizar o escoamento do açaí que ele coleta no Bailique.

"Representa o futuro do produtor. O objetivo agora é multiplicar, triplicar a produtividade do açaí aqui no Amapá. Porque produtos nos temos, precisamos agora desse material para escoar", opinou.

Após oito anos do início da cooperativa, hoje o açaí da AmazonBai já está presente em vários estados do país, e se depender dos cooperados, vai ganhar o mundo.

"Hoje o produto da AmazonBai já abastece o Brasil. Já sai com cinco certificações. Nosso objetivo para 2022 é que a gente possa acessar o mercado de exportação e colocar no produto no mundo todo", projetou Picanço.

Produção de açaí na fábrica

Jorge Júnior/Rede Amazônica

Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá

ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP: